Text 1, port., Canonização do Irmão Carlos e opção pelos pobres

Destaque

FRATERNIDADE SACERDOTAL JESUS CARITAS

PREPARANDO A CANONIZAÇÃO DO IRMÃO CARLOS

TEMA 1: A CANONISAÇÃO DO IRMÃO CARLOS E NOSSA OPÇÃO PELOS POBRES

Fernando Tapia Miranda
Equipe Internacional

“A pandemia acentuou a difícil situação dos pobres e o grande desequilíbrio que reina no mundo”, disse o Papa Francisco no último 19 de agosto. E ele acrescentou: “O vírus, sem excluir ninguém, encontrou grandes desigualdades e discriminações no seu caminho devastador. E aumentou-as!

Isso significa que os pobres hoje sofrem mais do que antes, por causa da falta de assistência médica, do desemprego e da fome.

O Santo Padre reconhece que a resposta à pandemia deve ser dupla: Se por um lado, “é essencial encontrar uma cura para um pequeno mas terrível vírus que põe o mundo inteiro de joelhos”, por outro lado, acrescenta o Papa, “temos que nos curar de outro grande vírus: o da injustiça social, da desigualdade de oportunidades, da marginalização e da falta de proteção para os mais fracos”.

Esta situação nos estimula a reafirmar nossa opção evangélica pelos pobres. Francisco diz em sua catequese: “A fé, a esperança e o amor nos impelem necessariamente para esta preferência pelos mais necessitados, que vai além da pura assistência necessária. Trata-se de caminhar juntos, deixando-nos evangelizar por eles, que conhecem bem o Cristo sofredor, deixando-nos “contaminar” pela sua experiência de salvação, pela sua sabedoria e pela sua criatividade. Partilhar com os pobres significa enriquecer-nos uns aos outros. E se existirem estruturas sociais enfermas, que impedem os pobres de sonhar com um futuro, temos que trabalhar juntos para curá-las, para transformá-las” (Como não reconhecer aqui, o jeito evangelizador do Irmão Carlos?)

O Santo Padre afirma que “a pandemia é uma crise, e de uma crise nós não saímos iguais: ou saímos melhores, ou saímos piores. Devemos sair melhores, no que diz respeito às injustiças sociais e à degradação do meio ambiente.”

A canonização do Irmão Carlos acontece neste contexto e não é por acaso. Através deste acontecimento de graças, Deus quer colocar à vista de todos, um homem, um crente, um pastor, um missionário que se entregou de corpo e alma aos mais pobres e abandonados do seu tempo, os Tuaregues. Ele se fez um deles, caminhou com eles, foi evangelizado por eles. Atualmente, a santidade passa pela opção preferencial pelos pobres.

Se queremos preparar e celebrar da melhor maneira possível a canonização do Irmão Carlos, não é para glorificar o Irmão Carlos, mas para fortalecer em toda a Igreja um amor ativo e proativo pelos pequeninos, os últimos, que, atualmente é mais necessário do que nunca. O Papa afirma na Evangelii Gaudium: “Nem sempre a própria beleza do Evangelho pode ser manifestada de forma adequada por nós, mas há um sinal que nunca deverá faltar: a opção pelos últimos, por aqueles que a sociedade rejeita e exclui.” (EG 165)

Nós, a família espiritual do Irmão Carlos, acolhemos como uma graça o seu carisma, que recebe, além disso, neste contexto de pandemia, uma atualização e uma validação especial. Não podemos mantê-lo escondido, negligenciá-lo ou deixá-lo estéril. “Reaviva o dom de Deus que está em ti”, disse São Paulo a Timóteo. Este é o convite que nosso Irmão e Senhor Jesus nos faz hoje, para contribuir na grande renovação da Igreja que o Espírito Santo está impulsionando por meio do Papa Francisco. Portanto, temos uma grande responsabilidade. A canonização do Irmão Carlos é uma oportunidade única para progredir nesta direção.

Para reflexão e oração pessoal ou em grupo:
• Vejo uma conexão entre nossa opção pelos pobres, a renovação da Igreja impulsionada pelo Papa Francisco e a canonização do Irmão Carlos?
• Que apelo à conversão o Senhor está nos enviando, por meio dessa canonização?
• Qual será a minha contribuição para que a Canonização dê todos os frutos que o Senhor espera dela?

Santiago do Chile, 10 de setembro de 2020

PDF: Text 1, port., Canonização do Irmão Carlos e opção pelos pobres BR

Carta de Eric aos irmâos de todo o mondo, 15 outobro 2020

Destaque

FRATERNIDADE SACERDOTAL JESUS+CARITAS

CARTA DE ERIC AOS IRMÃOS DE TODO O MONDO

15 de outubro 2020, Cidade de Dumaguete, Filipinas

Amados irmãos,

paz e amor fraterno a todos vocês neste tempo de pandemia!

Como Maria de Magdala anunciando a ressurreição de Jesus aos Onze, estou humildemente repleto de grande alegria pelas coisas que tenho para contar-lhes O Cristo Ressuscitado, preparando os irmãos para a boa notícia, disse a Maria para “ir e contar aos meus irmãos que eles devem ir para a Galileia. Lá eles me verão” (Mt 28,10). A Galileia é o lugar escolhido por Jesus para sua aparição serena, mas gloriosa, após a dolorosa crucificação. É também o lugar do encontro, da transformação e do mandamento renovado para segui-Lo para além do acontecimento da paixão. Enquanto eles contavam uns aos outros sua ansiedade em relação ao futuro, a confusão e a culpa sobre as coisas que haviam acontecido, Jesus se pôs no meio deles. Ele, pacientemente, levou-os a ver com novos olhos suas pequenas estórias de desilusão e dor à luz da estória maior do Reino de Deus. Somente após experimentar o perdão e a paz de Deus no Cristo Ressuscitado, é que os irmãos foram marcados permanentemente por uma renovada alegria e uma destemida coragem, para anunciar o Evangelho com suas próprias vidas até o próprio martírio.

Do mesmo modo, Jesus nos convida para ir à Galileia da nossa comunhão fraterna – local, nacional, regional, internacional – a fim de ver novamente o evento de Cristo em nosso mundo e em nossa história. Com o mesmo espírito, permitam-me compartilhar com vocês algumas propostas, sugestões para a reflexão e ação em vista das nossas atividades de preparação, celebração e pós-celebração em relação à canonização do Ir. Carlos. Estas propostas são fruto de nossas reuniões virtuais com a equipe internacional. Nossa esperança é que todos nós vamos, coletiva e individualmente, para um espaço de gratidão, alegria e temor por este dom. Que este dom possa também engendrar renovação, crescimento e novo compromisso para nós que temos sido inspirados pela vida e o testemunho do Ir. Carlos. É importante lembrar que comemoramos este dom com os outros membros da família espiritual.

Então, como devemos celebrar a canonização do Ir. Carlos? Embora a data ainda não esteja definida, sentimos que é importante planejar e organizar nossa gratidão e alegria. Antes de qualquer coisa, permitam-me fazer esta pergunta a vocês: Quão importante é a canonização do Ir. Carlos para você que segue sua espiritualidade? Como você a entende? Convido-o a refletir sobre esta questão por um tempo e escutar muito bem a sua avaliação inspirada deste evento. O seu próprio discernimento e o discernimento pessoal dos demais, quando compartilhados e escutados, serviriam como uma fonte donde nosso planejamento criativo e a celebração do acontecimento poderiam encontrar sua inspiração.

É nossa firme convicção que esta canonização não é para glorificar o Ir. Carlos. Isto é exatamente o contrário daquilo para o qual ele viveu. Trata-se, muito mais, de uma renovação afetiva e efetiva na Igreja, em nosso mundo, no clero, edificada sobre o carisma, a intuição, a mensagem, o legado do Ir. Carlos. Nossa Igreja hoje, através da corajosa liderança do Papa Francisco, está movendo-se em direção à missão para as periferias, a renovação da evangelização, para o cuidado com nossa casa comum, forjando fraternidades humanas para a paz global. A pandemia expôs um vírus mais complexo, que está gerando uma maior divisão entre ricos e pobres, aumentando tensões entre líderes políticos do nosso globo; uma economia de mercado que exclui as responsabilidades humanas e ecológicas, uma cultura que se tornou rápida e livre com a informação digitalizada de alta velocidade. O clero diocesano precisa de um ícone que inspire uma maior radicalidade na vivência do Evangelho e uma espiritualidade que fundamente nosso ministério nos caminhos não convencionais de Jesus de Nazaré. Ir. Carlos sempre foi e sempre será uma testemunha que aponta para Jesus. Após viver aquilo em que ele apaixonadamente acreditou, somos convidados a seguir o caminho que ele trilhou com o mesmo amor e a mesma intensidade até o nosso último suspiro.

Eis as nossas humildes propostas:

Que a canonização não seja apenas um evento de um dia, mas um prolongado processo distribuído em três fases diferentes: PREPARAÇÃO; CELEBRAÇÃO; PERÍODO APÓS A CANONIZAÇÃO;

Que convidemos todos os leigos/as, religiosas/os, diáconos, presbíteros, bispos para participar de nossos momentos de reflexão, oração e ação – em nível local, nacional, regional e internacional. Se possível, juntamente com os demais membros da família espiritual;

Que em nossa fase preparatória, sejamos guiados pelos seguintes temas para o discernimento pessoal e comunitário: A situação do pobre em nosso mundo atual (por Fernando Tapia); A biografia do Ir. Carlos e seu valor atual (Honore Salvadogo); Elementos essenciais da Espiritualidade inspirada por Ir. Carlos e sua atualidade (Tony Lanes); Nosso caminho de evangelização inspirado no testemunho do Ir. Carlos (Fernando Tapia); O diálogo inter-religioso na vida e intuições do Ir. Carlos (Jean François Berjonneau).

Eles estarão disponíveis semanalmente em nossa página virtual: www.iesuscaritas.org. Nós lemos, refletimos, rezamos e somos movidos por estas joias do Ir. Carlos. Faço um apelo humilde aos responsáveis continentais para motivar os responsáveis nacionais e locais, a fim de acessarem em nossa página virtual estes documentos. Desse modo todos nós poderemos beber da mesma fonte juntos;

Que nossas reflexões gerem liturgias criativas, ações missionárias e solidárias nas periferias em nível local, nacional, regional e internacional, se possível, com a colaboração dos demais membros da Família Espiritual;

A Associação da Família Espiritual do Ir. Carlos deverá organizar uma vigília na véspera da canonização em Roma. No dia após a canonização, na Basílica de São Pedro, haverá uma missa em ação de graças presidida pelo Reverendíssimo Dom John MacWilliam, Bispo do Saara. Maiores detalhes serão fornecidos assim que a data for fixada.

Que no período após a canonização apresentemos com dedicação Ir. Carlos e a sua espiritualidade, organizando semanas de Nazaré para jovens e para os padres interessados, e promovendo o Mês de Nazaré internacional, por idioma.

Grato a todos.

Que o Irmão Universal, São Carlos de Foucauld, interceda por nós, a fim de que sejamos renovados como padres diocesanos missionários e corajosos discípulos de Jesus de Nazaré, em nossos dias.

Transmito-lhes a afeição fraternal dos membros da Equipe Internacional.

Seu irmão servidor,

Eric LOZADA

PDF: Carta de Eric aos irmâos de todo o mondo, 15 outobro 2020 port